A realização e devoção do Cerco de Jericó tem origem na Igreja Católica, com o embasamento bíblico no livro de Josué (cap. 6), no qual o líder religioso do povo de Israel conquista a cidade de Jericó, após realizar tudo conforme o que o Senhor lhe ordenara: “dai volta à cidade, vós todos, homens de guerra; contornai toda a cidade uma vez. Assim farás durante seis dias (…) No sétimo dia, dareis sete vezes volta à cidade (…) Quando o som da trombeta for mais forte e ouvirdes a sua voz, todo o povo soltará um grande clamor e a muralha da cidade desabará” (v. 3-5).

Apesar deste fato está contido no Antigo Testamento, foi em 1979 que a Igreja começou a recorrer a Deus desta forma: quando o Papa João Paulo II estava proibido de ir à Polônia, sua terra natal, devido aos “muros do comunismo”, um grupo de católicos pôs-se em oração, com o Santíssimo Sacramento e com o Santo Rosário, durante sete dias e sete noites (inspirados nesta passagem bíblica e num pedido feito por Nossa Senhora em uma mensagem proferida nessa ocasião), e conquistaram de Deus este favor, e o Santo Padre pôde então realizar a primeira peregrinação à sua terra.

Em outra mensagem, Nossa Senhora ordenou que fosse realizado o Cerco de Jericó todas as vezes que o Papa João Paulo II tivesse de sair em viagens apostólicas, difundindo assim esta devoção.

O Cerco de Jericó é hoje realizado na Igreja no mundo inteiro, sempre clamando a vitória de Deus sobre tudo aquilo que “trava” a vida do seu povo.

Sabe-se que as principais muralhas a serem derrubadas serão sempre as interiores, àquelas que impedem o livre acesso de Deus ao coração humano. Derrubando estas, tem-se forças para clamar por qualquer vitória. E o Senhor estará sempre em favor do seu povo: daqueles que obedecem à sua voz.

A Casa da Paz escolheu este período (temático de Santa Clara de Assis), fazendo referência também ao episódio em que as irmãs Clarissas foram protegidas exclusivamente pela força do Santíssimo Sacramento, tomado por Clara em combate à tentativa de invasão do mosteiro pelos sarracenos, que estavam devastando aquela cidade. Relatam os registros da Ordem que Jesus não só concedeu a vitória naquele momento, mas prometeu Sua proteção para sempre.

Como baluarte da Casa da Paz, sabemos que podemos nos valer de sua intercessão e desta promessa, que se estende a todos os seus filhos espirituais.

E você? Quais são as muralhas que precisam ser derrubadas na sua vida? Participe deste Cerco de Jericó e contemple a ação poderosa do Senhor, com o firme propósito de permanecer com Ele para sempre!