São Bento nasceu no ano de 480, na comuna italiana de Nursia, situada na região da Umbria, província de Perugia (mesma região onde mais tarde Francisco e Clara também viveriam seu encontro com o Cristo).

Oriundo de família nobre e muito estudioso, mudou-se muito cedo para Roma, a fim de aprofundar-se em seus estudos de retórica e filosofia. Mas, confrontando-se com o paganismo existente ali, decide então abandonar a sabedoria do mundo para buscar somente a Deus, retirando-se para uma gruta no território de Enfide.

Na ocasião, levou consigo apenas sua ama contudo, relatam os escritos que, um episódio com um “crivo quebrado” – no qual São Bento, compadecendo-se do desespero dela pelo descuido e restituindo-o pelo poder da oração, ganha popularidade na Igreja local – foi o suficiente para que rompesse definitivamente com os laços que ainda o ligavam ao seu passado, fugindo de todas as tentações do orgulho de ser admirado e reverenciado, para dedicar-se inteiramente a Deus e ao seu querer.

A partir de então, São Bento inicia sua vida de abandono em Deus, passando os três anos posteriores recolhidos à solidão.

Sua festa é celebrada no dia 11 de julho em toda a Igreja.