Continuávamos a viagem que já passava de uma semana, e já sentia que se aproximava o dia em que o Senhor Deus me utilizaria para dar a luz Aquele que seria a Luz do mundo, conforme Ele mesmo havia prometido.

José precisou levar-nos à sua cidade natal para o recenseamento ao qual o governo nos obrigara e, em meu coração, já sentia que de lá voltaríamos com “nosso Menino” nos braços.

Ao chegar lá, no entanto, uma surpresa nos aguardava: devido ao número de cidadãos belemitas que se destinavam pela mesma finalidade, não havia mais nenhum lugar para nos alojarmos, que garantisse os cuidados merecidos Aquele que esperávamos.

Porém, o Senhor Deus mostrou-nos com isto que queria mesmo começar a sua história terrena da forma mais simples possível, conduzindo-nos a uma estrebaria que continha espaço e calor para acolher Sua Vontade de instaurar no mundo um novo Reino.

Foi ali, naquele ambiente singelo, que o Criador recriou tantos conceitos e maneiras de percebê-Lo, mostrando-se pequenino, pobre, frágil e totalmente acessível. Era um verdadeiro enlevo para nossos olhos: sua beleza irradiava luz e o desejo de adorá-Lo fazia daquele local um Templo que nosso povo jamais vira.

Naquela mesma hora, o céu também festejou com seus anjos, que entoavam belíssimos hinos de louvor que podíamos ouvir da pequena gruta e também dos arredores. Foi a partir de mais esta Revelação, que os pastores que trabalhavam pela região, tomaram conhecimento do Divino Sol que brilhava naquela noite e juntaram-se a nós em adoração.

Muitas emoções ainda marcaram este dia, mas o Senhor concedeu-me guardar e meditá-las em meu coração, como contemplação do Seu Amor.

Mais tarde, fui percebendo que nem todos acolheriam meu Amadíssimo Filho, como naquele dia em Belém… Que os meus outros filhos, que Ele mesmo havia de me confiar, estariam, por vezes, tão ocupados e cheios de apetrechos, que não teriam lugar para acolhê-Lo.

E este é o apelo de Mãe que venho fazer: Ele está chegando, não O deixe sem espaço… Ele não exige muito, apenas uma brecha em seu coração e o Seu brilho invadirá com toda intensidade. Deixe sua reserva. Seu nome? Jesus de Nazaré.

Comunicação – Casa da Paz