No ano de 1870, São José foi declarado patrono da Igreja, pelo papa Pio IX, mas muito antes desta declaração, numerosos movimentos e congregações já se confiavam ao seu apadrinhamento.

A figura de José, caracterizada, sobretudo, como a figura do justo, é forte testemunho para os homens de hoje, que tanto têm se deixado abater pelas injustiças e pela falta de fé.

Para o judaísmo, justo é aquele que não tenha parte com qualquer culpa. José, porém, vai além e é tomado pela Igreja por Justo não somente pela observância da Lei, mas por estar sempre atento à voz do Senhor e lhes ser obediente em tudo.

Sua fidelidade o preparava para grande responsabilidade: estar no núcleo do Projeto de Salvação do Pai. Junto a Maria teve a graça de receber e conviver com o próprio Deus em vida. Seu completo abandono aos desígnios de Deus fez dele este sinal, mostrando que vale a pena confiar, mesmo sem entender e que Deus não deixa sem resposta aqueles que n’Ele esperam.

Que sob os cuidados de São José, a Igreja caminhe confiante na fidelidade divina, que nada deixa faltar aos seus.

Ouça agora a música “Glorioso São José“, lançada neste mês de março pela Comunidade Casa da Paz: