Está se tornando comum a realização de campanhas que visem a promoção da saúde, em todas as suas dimensões e a educação para um bem social.

O mês de setembro, desde 2015, traz a temática da prevenção ao suicídio, com o “Setembro Amarelo”. Discussão que tem se tornado cada vez mais necessária, considerando os números de casos e de pessoas que sofrem de depressão, ou que estejam mais vulneráveis a perda de interesse pela vida.

A Comunidade Casa da Paz acredita que a espiritualidade pode ser um importante meio de valorização e ressignificação da existência humana e, por isso, uma de suas ações de evangelização é o Projeto São Bento, que consiste no atendimento individual de escuta e oração pelas causas das pessoas que procurem o serviço, e muitos são os relatos das que já pensaram em tirar a própria vida e mudaram de ideia após os atendimentos, que lhes proporcionara uma espécie de “renovação da esperança”.

Associado a este projeto, a Comunidade também reconhece que em alguns casos faz-se necessário uma atenção profissional, mas que nem todos teriam acesso, no que se refere aos custos de investimento e, por isso, desenvolve também, a Ação Social São Pio, que consiste no atendimento psicológico gratuito para este público.

Neste ano, devido as restrições da pandemia, não foi possível a realização dos atendimentos, mas somente de programações online, que também objetivaram comunicar mensagens de fé e de alegria para todas as pessoas.

Pensando em atender demandas mais específicas, a Casa da Paz se propõe a oferecer um espaço para discussão deste assunto, por vezes tão evitado pela sociedade por não saber como trazê-lo de modo positivo ao conhecimento da população, de maneira responsável e cuidadosa. Falar sobre suicídio – da maneira certa – é uma importante estratégia para preveni-lo.

A discussão irá acontecer no dia 19/09, a partir das 20h, pelas nossas redes sociais, mediada por voluntários que se propõem a rezar por esta causa – apresentando a espiritualidade como importante recurso de prevenção -, e por profissionais da área de Psicologia – apresentando a importância de um olhar atento para uma boa qualidade de vida.

Após este momento, as pessoas que se sentirem necessitadas de um acolhimento por meio da escuta, poderão entrar em contato para agendar um atendimento “online” (não necessariamente profissional), no qual poderá receber oração e orientação sobre como pode olhar para sua vida como um precioso dom, que precisa ser bem cuidado. As escutas não oferecerão, neste momento, um acompanhamento prolongado dos casos, mas irão se propor a “aliviar” questões mais pontuais que possam estar prejudicando o modo com que o sujeito percebe a sua vida, que pode ser melhorada a partir do sentimento de que “você não está sozinho”!

Confira!