A palavra VOCAÇÃO vem do latim vocare que significa chamamento. No ponto de vista da vocação cristã, quem chama é sempre Deus, utilizando-se dos instrumentos que quer; e nós, somos livres para respondê-Lo, também, como quisermos, embora Ele espere e mereça de nós um sim.

Um chamado de Deus não deve ser desprezado; mas assumido como a melhor decisão que se pode tomar na vida. E sobre isto, a Igreja ensina que o primeiro chamado que somos convidados a responder é o da Santidade: Deus nos criou para vida e a vida com Ele; precisamos viver em conformidade com a Sua Palavra. A partir do nosso sim a esta vocação primeira, Deus vai nos mostrando a melhor forma de atendê-Lo, com as vocações específicas que suscita em nosso coração (matrimônio, celibato, sacerdotal ou religiosa).

Quando Ele nos apresenta o “como” servi-Lo, não adianta tentarmos de outros jeitos, pois, só iríamos nos frustrar. Só conseguimos corresponder à esta vocação universal, se atendermos especificamente ao que Ele nos orienta no mais íntimo do nosso ser.

Não conseguimos ser santos num lugar diferente do que Deus nos coloca. Ele nos criou e nos conhece mais do que nós mesmos. Não adianta queremos outros caminhos, pensando que vamos chegar ao mesmo lugar… como também, não adianta pensar que já chegamos, nos conformando às nossas ideias.

Cada chamado é único e intransferível. Só nos resta, portanto, aceitá-lo e realizá-lo.

A Comunidade Casa da Paz vive o carisma “Ser como Maria um sinal de Deus no mundo” nos estados de Comunidade de Vida (dedicação integral à vida missionária) e Comunidade de Aliança (vivência missionária sem sair de seus diversos contextos). O consagrado pode viver o carisma na condição que se encontra quando o Senhor o chama (1 Cor 7, 17), propondo-se, em tudo, seguir a Cristo, como sua Santíssima Mãe.